fbpx
Entregas e devoluções gratuitas, na Europa.
George Floyd
03 Junho, 2020

As redes sociais têm a extraordinária capacidade de simplificar uma ideia e abreviar um pensamento ou um sentimento complexo numa simples frase, como se de um slogan publicitário se tratasse. Em poucos segundos somos ora defensores do meio-ambiente, ora defensores da Amazônia, ora feministas, etc. e as nossas opiniões espalham-se pela Internet ao ritmo da atualidade do momento.

Infelizmente, muitas vezes e após poucos dias, parece que já não nos lembramos daquilo que publicámos, pois a nossa indignação para com um acontecimento foi substituído por outro cujo destaque e protagonismo se sobrepôs ao anterior e assim sucessivamente.

Não quisemos publicar nenhum post alusivo à trágica morte de George Floyd nas nossas redes sociais para “ficar bem” e fazer aquilo que muita gente fez. Respeitamos quem usa as redes sociais para expressar ideias e convicções mas achamos que a memória desta pessoa e as condições trágicas do seu falecimento merecem mais do que um simples slogan ou hashtag.

O George Floyd foi mais uma vítima mortal provocada pela falta de Justiça e de Humanidade que observamos não apenas nos Estados-Unidos mas sim a nível global. Consideramos que o ar roubado a esta pessoa agonizante por baixo daquele joelho é o mesmo ar que é roubado a milhares de pessoas todos os dias em todo o mundo e sem qualquer mediatismo.

Em 2020, já não deveríamos falar de racismo, de antissemitismo, de homofobia, de não respeito pelos direitos dos homens e das mulheres, de escravatura moderna, de exploração infantil, etc. Infelizmente, a verdade é que sim, em 2020, ainda devemos falar sobre estas questões e, na realidade, temos a obrigação moral de falar sobre elas.

Acreditamos que a Educação é fundamental para mudar mentalidades e estamos cada vez mais convencidos de que este é o único caminho para que possamos viver num mundo melhor. O futuro depende dos nossos filhos e da nossa capacidade em transmitir-lhes os valores certos. Porque o racismo e os outros problemas que a nossa sociedade enfrenta não são apenas problemas dos Estados-Unidos, faz sentido pensarmos novamente naquilo que queremos para as nossas vidas e conversarmos sobre estes assuntos entre nós e com eles.

Que este trágico acontecimento sirva de reflexão e que este movimento de indignação não fique enclausurado nos ecrãs dos nossos telemóveis…